Eficiência x Proficiência na Iluminação Cênica

 

 

 

 

Iluminação Cênica e utilização maciça de luminárias com LEDs como estratégia de eficiência energética. Fonte: LEDinside

 

Novas tecnologias surgem todos os dias e a atualização dos profissionais nem sempre acompanha as tendências e inovações na mesma velocidade. Ao mesmo tempo, políticas e estratégias para as melhores práticas têm sido alvo de debates e regulamentações, que poderão impactar decisivamente no futuro da Iluminação Cênica.

 

Nesta conversa, a relação entre a proficiência – compreendida como demonstração plena de conhecimento, competência e capacidade – e a eficiência energética, como sendo dois temas cada vez mais relevantes no dia a dia da Iluminação Cênica, são analisadas pela perspectiva da convergência de ações e resultados, práticos e eficazes.
Feiras e exposições de iluminação têm sido abastecidas de múltiplas novidades pela essência que caracteriza esses tipos de eventos. Não seria diferente no segmento específico da Iluminação Cênica, com a apresentação de produtos que diversificam as opções de compra, atualização e projeção para novos cenários, produtivos e econômicos.
As indústrias que fornecem estruturas, equipamentos e demais soluções para os mercados de entretenimento e eventos cada vez se consolidam mais em inovações e novos conceitos para a produção de espetáculos e para o atendimento de novas demandas da Iluminação Cênica, nos mais diversificados espaços e palcos.


Tendências induzidas pelos mercados nem sempre oferecem produtos que agradam a todos, mas apontam caminhos alternativos em um campo repleto de opções, mais alinhadas às novas tecnologias, ou complacentes com modelos e modos tradicionais como também conservadores.

 

 

Proficiência na Iluminação Cênica: conhecimento, competência e capacidade. Fonte: Olden Lighting

 
Neste contexto, o mais efetivo acompanhamento de todas as novidades no setor de iluminação torna-se praticamente impossível. Ao mesmo tempo em que novas tecnologias e novas luminárias surgem, a renovação almejada se restringe a poucos consumidores – Lighting Designers, produtoras, fornecedores. Mesmo com potenciais e efetivas parcerias, para marcas e distribuição de produtos no mercado mundial, a diversidade de novas iniciativas empreendedoras amplifica as possibilidades reais de produção, e o distanciamento para o conhecimento pleno das ofertas disponíveis.


Assim, a proficiência na iluminação cênica se configura mais em especialização para conhecimentos, marcas e seus produtos específicos, restringindo-se também as possibilidades de pesquisa aplicada para a maioria dos profissionais que se inserem nesse contexto. Nessa circunstância, torna-se melhor buscar a afirmação com o que é familiar e controlável, do que buscar experimentações em áreas ou meios superficiais.
Por outro lado, a ‘lei da substituição’ também se torna um componente exógeno na proficiência pela qual todos os profissionais devem se atualizar, uma vez que se comportam como fatores externos às próprias escolhas, sendo assim incontroláveis. Nessa situação se incluem as novas regras, leis e normas dos setores envolvidos, mais especificamente relacionadas à eficiência energética.

 

Eficiência energética – substituição de luminárias convencionais por luminárias LEDs. Fonte: Sydney Opera House


Esse tema tem sido debatido há décadas – e relacionado a todas as formas de geração de energias; no entanto, mais efetivamente após o aperfeiçoamento das tecnologias na geração de energias renováveis e na busca de melhores soluções construtivas nas indústrias eletrônicas e elétricas. Assim, a utilização racional de energia, para qual resumidamente é referida a eficiência energética, consiste na prática no uso de modo eficiente da energia para se obter um determinado resultado. 


A partir disso, pela própria definição atribuída a esse termo técnico, a eficiência energética consiste na relação entre a quantidade de energia empregada em uma atividade (produção de shows, por exemplo) e aquela disponibilizada para sua realização (o que para esses eventos pode ser substancialmente significativa).


Desta maneira, de um lado, a dependência direta com os meios de geração, transmissão e distribuição da energia elétrica condiciona esse uso eficiente; do outro, a busca de novas tecnologias que busquem mais eficácia no consumo e diminuição das perdas e dos impactos ambientais – tais como a emissão de carbono.

 

Proficiência com Eficiência energética – especialização por projetos exclusivamente com luminárias LEDs. Fonte: Elation Professional


Novas legislações e regulamentações para o setor interferem decisivamente de diversas maneiras. Como exemplo, a Portaria Interministerial nº 1.007, de 31 de dezembro de 2010, que no Anexo I definia a regulamentação específica para os níveis mínimos de eficiência energética de lâmpadas incandescentes aplicados no Brasil. Como consequência, a restrição na produção e importação de lâmpadas incandescentes convencionais, em alinhamento com a Agência Internacional de Energia (AIE).


Também por determinação dos líderes dos países que formam a União Europeia, novas regulamentações sobre a venda de luminárias que entrarão em vigor a partir de 2020 também impõe restrições para aqueles mercados produtores e consumidores. O regulamento intitulado Ecodesign Working Plan 2016-2019, que envolveu governantes, profissionais e passou por consulta pública, proibiu a venda de luminárias que não atendessem a um determinado padrão definido de eficiência energética (estipulado em 85lm/W). A homologação dessa regulação específica faz parte de um esforço comum entre os países integrantes para que apliquem normativas com fins ecológicos, fomentando a redução das emissões de carbono, com vigência para 1.º de setembro de 2020. 


No entanto, de maneira global, a maior parte da iluminação cênica atualmente instalada e em uso não atende a esses novos regulamentos. Seja pela manutenção das instalações e das estruturas associadas a espaços tradicionais, históricos ou mesmo contemporâneos, ou pela equiparação de tecnologias e resultados, que ainda não correspondem a todas as necessidades e requisitos dos parâmetros obtidos com instrumentos de iluminação cênica que utilizam lâmpadas de filamentos.

Proficiência com eficiência energética – especialização por projetos exclusivamente com luminárias LEDs. Fonte: The Lighting Resource/Eaton


Mesmo que os mais otimistas esforços, localmente ou mundialmente, tenham sido estrategicamente estimados para restrições e proibições para fontes de luz de tungstênio, sendo esse um dos objetivos mais evidentes dessas medidas, evidencia-se que as novas regulamentações terão consequências mais amplas, de maneira geral.
A Iluminação Cênica, se alinhada a essas premissas e patamares atribuídos a toda a indústria de lâmpadas, não impactará apenas com a substituição das fontes de luz, mas também e significativamente na produção e substituição de luminárias. De maneira prática, mesmo com as potenciais trocas de lâmpadas de filamento por outras de LED ainda assim não é garantida, nas condições atuais, a redução da eficiência energética necessária de acordo com as normativas citadas anteriormente.


Em contrapartida, evidenciam-se esforços do setor de entretenimento para potenciais exceções e isenções – incluindo nesse contexto os espaços de eventos (com destaque para casas de espetáculos e teatros), estúdios de TV e Cinema, além de outros utilizados para celebrações e apresentações ao vivo. Com as recomendações expressas para a utilização eficiente e proficiente desses recursos, outros avanços serão esperados pela indústria, com o comprometimento dessa como participante na busca de soluções e no atendimento das demandas, tanto pelas instâncias governamentais, como dos profissionais - fabricantes, distribuidores, locadoras, instaladores e usuários de iluminação.


Novidades, técnicas e regulatórias são esperadas ainda para este ano. Acredita-se que até dezembro de 2018, um novo marco para a Iluminação Cênica será redigido e homologado, em consonância com as estratégias energéticas e sustentáveis e também aos anseios dos profissionais do setor, na busca de melhores e mais efetivas soluções, com eficiência e proficiência.


Abraços e até a próxima conversa!
 

Please reload

Destaque

Gustavo Victorino conquista o troféu de Comentarista de Televisão do Ano, no Prêmio Press 2019

November 12, 2019

1/10
Please reload

Posts recentes

October 7, 2019

October 3, 2019

September 25, 2019

September 19, 2019

Please reload

Nossas Redes
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Instagram
SOBRE

REVISTA BACKSTAGE

 

A Revista Backstage é um publicação da Editora H. Sheldon e pode ser adquirida online através do site da editora, por assintura ou avulsa.

 

ANUNCIE

IMPRESSA OU DIGITAL

 

Clique aqui e se informe sobre as condições de anúncios em nossa revista ou site.

CONTATO
  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • Instagram

Todos Direitos Reservados

Rua Iriquitiá, 392 - Taquara

Rio de Janeiro - RJ - CEP:22.730-150 

Telefones: (21) 3627-7945 /  2440-4549

E-mail: adm@backstage.com.br

© 2017 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS • REVISTA BACKSTAGE