Anuncio topo
COLUNISTAS

Os desafios de A Chorus Line Brasil

11/05/2022 - 15:42h
Atualizado em 11/05/2022 - 16:43h


 

São Paulo, 1983: em cartaz no Teatro Sérgio Cardoso o musical A Chorus Line, sem discussão um pioneirismo total nos grandes musicais apresentados no Brasil fazia história, e nos submetia a grandes desafios no áudio…

 

A produção, capitaneada pelo mestre Walter Clark, não mediu esforços para tornar realidade o sonho dessa montagem por aqui. Chorus Line, com texto original de James Kirkwood & Nicholas Dante, concepção, coreografia e direção original de Michael Bennett, revelou muitos nomes de talento que deram muito sangue, suor e dedicação a suas interpretações: Accacio Gonçalves (Zach), J.C.Violla (Paul), Cláudia Raia (Sheila), Márcia Albuquerque (Laura), Rita Malot (Judy), Guilherme Leme (Al), Heloísa Millet (Diana), George Otto (Don), entre muitos o talentos natos, como Ricardo BandeiraRaul GazzollaRegina RestelliThales Pan ChaconEduardo MartiniTeca PereiraKatia BronsteinLuiz Carlos BurucaGuilherme Leme, Viviane Alfano, Rubens Gabira, Dil Costa, Maria Lúcia Priolli, e Nadia Nardini...

 


(Fotos: arquivo pessoal Rita Malot.)

 

Com tradução de Millôr Fernandes e direção e coreografia de Roy Smith, foram quase 200 apresentações (acompanhadas por uma banda de 23 músicos sob a direção do saudoso e competente Murilo Alvarenga, que partiu há pouco tempo atrás...) que deixaram muita saudade em todos nós envolvidos na produção!!!

 

Quem vê a tecnologia de áudio empregada nos musicais de hoje jamais poderá imaginar nosso trabalho pra botar o Chorus no ar em 1983, com um PA de rock’n’roll do Paulo Valadares (Val & Val), sem um único microfone especial ou equipamento específico pra isso, muito menos in-ears e consoles digitais!!!… Absolutamente “autonamão”!!!… Se o computer da iluminação pulasse uma cena, não tinha como voltar, se algum ator ficasse fora do raio de ação dos mics a definição do texto ia pelo espaço, e coisas desse tipo... Hahahaha.

 

A supervisão de áudio era do Carlos Ronconi e a mixagem final minha e do Hamilton “Mica” Griecco, com o super Zito na assistência de palco, microfones, etc... O Micca pilotava a orquestra do Murilão, literalmente mergulhada no fosso e a master final, enquanto eu ralava duas horas seguidas com nove microfones de voz espalhados pelo palco (e mais cinco fora do palco), correndo atrás dos atores/bailarinos e monitorando isso com dois sides no palco e algumas poucas vias de phones para a orquestra e a cabine de vocais das pessoas que não estavam em cena… Era isso mesmo, seis mics no teto cobrindo o mair espaço possível do stage, cinco na frente, dois pro Zach e a cabine dos vocais era no backstage, para aquele reforço nos vocais!!!... Tudo “no braço”, sem nada gravado, sem automações de áudio...

 


(Fotos: Farat, Micca, Ronconi & Zito)

 

Realmente esse foi um grande projeto do Walter Clark, associado ao José Octávio de Castro Neves e ao J.Arce. Demos tudo o que tínhamos na época para contribuir e somar esforços nessa empreitada, e entre erros e acertos o resultado foi, com certeza, muito gratificante!!!...

 

 

Personagens (descrição perfeita by Wikipédia):

Zach – o imperial e bem sucedido coreógrafo e diretor do musical.

Larry – seu assistente

Don Kerr – um homem casado que já trabalhou em boates de strip-tease masculino.

Maggie Winslow – uma mulher doce que cresceu em um lar com um pai ausente.

Mike Costa – um dançarino de estilo agressivo que aprendeu sapateado ainda na infância.

Connie Wong – uma pequenina sino-americana que parece não ter idade.

Greg Gardner – um gay que comenta sua homossexualidade e a primeira experiência com uma mulher.

Cassy Ferguson – uma ex-dançarina solo em baixa na carreira e com uma relação mal sucedida com Zach.

Sheila Bryant – uma dançarina sexy já de idade mais avançada, que conta de sua infância infeliz.

Bobby Mills – o melhor amigo gay de Sheila, que faz piadas com sua educação conservadora.

Bebe Benzenheimer – uma jovem dançarina que só se sente bonita quando dança.]

Judy Turner – uma dançarina alta, desajeitada, mas engraçada.

Richie Walters – um dançarino negro entusiasmado que já pensou em ser professor do jardim de infância.[6]

Al DeLuca – um ítalo-americano que toma conta da mulher, também bailarina.

Kristine Urich (DeLuca) – a esposa dispersa de Al, que não consegue cantar.

Val Clark – uma excelente dançarina boca suja e atraente que não conseguia trabalho até fazer implantes de silicone.

Mark Anthony – o mais jovem dos dançarinos, que relembra a época em que contou ao padre de sua paróquia que pensava ter gonorreia.

Paul San Marco – um gay porto-riquenho introvertido e inseguro, que começa a se sentir mais confortável com sua homossexualidade.

Diana Morales – outra porto-riquenha e amiga de Paul, foi sempre subestimada por seus professores.

Tricia – que tem um breve solo vocal.

Vicki – que nunca estudou balé.

Lois – porque dança como bailarina.

Roy – que não pode manter os braços na posição correta.

Butch – que tem uma desavença durante os ensaios.

Tom – Um americano comum & Frank – Fica olhando para os pés enquanto dança.

 

 

Eu adoraria um remake do Chorus com toda a tecnologia de hoje!!!...

Grande abraço...

 

Os desafios de “A Chorus Line” Brasil
Paulo Farat

COMENTÁRIOS

O capacitor envelhece em um equipamento pouco usado também? Ou ele degrada principalmente com o uso? Por exemplo, um equipamento da década de 80 muito pouco usado precisaria de recap por desgaste do tempo?

- Henrique M

Ótimo, vai ajudar muito! Cesar é fantástico, ótima matéria!

- adriano vasque da

Saudades da Paranoia saudável que tínhamos no Freeeeeee Jazzzzzz Festival (imitando Zuza em suas apresentações magnificas) Parabéns Farat Forte abraço

- Ernani Napolitano

Artigo incrivel! Extremamente realista e necessário, obrigado mestre!

- Jennifer Rodrigues

Depois de 38 anos ouvindo o disco, eis q me deparo com a história dele. Multo bom!! Abrss

- Fernando Baptista Junqueira

Que maravilha de matéria, muito verdadeira é muito bem escrita, quem viveu como eu esta época, só pode agradecer pela oportunidade que Deus me concedeu. Vou ler todas, mas tinha que começar por esta… abraços…

- Caio Flávio

Só li verdades! Parabéns pela matéria Farat

- Guile

Ótimo texto Zé parabéns !!!!! Aguardando os próximos!!!

- Marco Aurélio

Adoro ver e rever as lives do Sá! Redescobri várias músicas da dupla valorizadas pela execução nas "Lives do Sá". Espero que esse trabalho volte de vez em quando. O Sá, juntamente com o Guilherme Arantes e o Tom Zé, está entre os melhores contadores de casos da MPB. Um livro com a história da dupla/trio escrito por ele seria muito interessante!

- Bruno Sander

Ontem foi um desses dias em que a intuição está atenta. Saí a caminhar pela Savassi sabendo que iria entrar naquela loja de discos onde sempre acho algo precioso em vinil. Já na loja, fui logo aos brasileiros e lá estavam o Nunca e o Pirão de Peixe em ótimo estado de conservação, o que é raríssimo. Comprei ambos. O 2º eu já tinha, meio chumbado. O Nunca eu conhecia de CD, e tem algumas das músicas que mais gosto da dupla, p. ex. Nuvens d'Água (acho perfeita), Coisa A-Toa (alusão à ditadura?), e outras. Me disseram que o F. Venturini é fã do Procol Harum, e realmente alguns solos de órgão dele fazem lembrar a banda inglesa.

- João Henrique Jr.

Que maravilha de matéria. Me transportei aos anos de ouro da música brasileira

- Sidney Ribeiro

Trabalho lindão. Parabéns à todos os envolvidos!

- Anderson Farias de Melo

O que dizer do melhor disco da música nacional(minha opinião). Tive o prazer em ver eles como dupla e a volta como trio em um shopping da zona leste de sampa. Lançamento do disco outra vez na estrada. Espero poder voltar a vê-los novamente, já que o Sa hoje mora fora do Brasil. E essa Pandemia, que isolou muito as pessoas. Obrigado por vocês existirem como músicos, poetas e instrumentistas. Vocês são F..., Obrigado, abracos

- Luiz antonio Rocha

Que maravilha Querido Paulinho Paulo Farat!! Obrigado por dividir conosco momentos tão lindos , pela maravilha de pessoa e imenso talento que Vc sempre teve, tem e terá, sempre estará no lugar certo e na hora certa ! Emocionante! Tive a honra de trabalhar muitas vezes com Vc, em especial na época do Zonazul , obrigado por tudo, parabéns pela brilhante carreira e que Deus Abençõe sempre . Bjbj

- Michel Freidenson

Mais uma vez um texto sensacional sobre a história da música e dos músicos brasileiros. Parabéns primo e obrigado por manter viva a memória dessas pessoas tão especiais para nós E vai gravar o vídeo desta semana! Kkkk

- Carlos Ronconi

Grande Farat!!! Bacana demais a coluna! Cheio de boas memorias pra compartilha!!!

- Luciana Lee

Valeu Paulo Farat por registrar nosso trabalho com tanto carinho e emoção sincera. Foram momentos profissionais muito importantes para todos nós. Inesquecíveis ! A todos os membros de nossa equipe,( e que equipe! ) Nosso Carinho e Saudades ! ???? ???????????????????? Guilherme Emmer Dias Gomes Mazinho Ventura Heitor TP Pereira Paulo Braga Renato Franco Walter Rocche Hamilton Griecco Micca Luiz Tornaghi Carlão Renato Costa Selma Silva Marilene Gondim Cláudia Zettel (in memoriam) Cristina Ferreira Neuza Souza

- Alberto Traiger

Depois de um ano de empresa 3M pude fazer o bendito carnê e comprei uma vitrolinha (em 12X) e na mesma hora levei Pirão, Quatro (Que era o novo), Es´pelho Cristalino e Vivo do Alceu, fiquei um ano ouvindo e pirando sem parar, depois vi o show do Quatro em Campinas. Considero o mais equilibrado de todos, sendo que sempre pendendo pro rural e nem tanto pro urbano, um disco atemporal podendo ser ouvido em qualquer situação, pois levanta o astral mesmo. No momento, Chuva no campo é ''a favorita'', mas depois passa e vem outra, igualzinho à aquela banda de Liverpool, manja????

- Ademilson Carlos de Sá

B R A V O!!! Paulo Farat não esqueça: “Afina isso aí moleque!” Hahahaha Tremendo profissional, sou teu fã, Grande abraço!

- Dudu Portes

Show é sensacional. Mas a s sensação intimista de parecer que a live é um show particular, dentro da sua casa, do seu quarto, é impagável. Parabéns família, incluindo Guarabyra e Tommy...

- Ricardo Amatucci

Paulo Farat vai esta nas lives do Papo Na Web a partir de amanha apresentando "Os Albuns Que Marcaram As Nossas Vidas"" Não percam, www.facebook.com/depaponaweb todas as terças-feiras as 20:00 horas

- Carlos Ronconi

Caro Luiz Carlos Sá, as canções que vocês fazem são maravilhosas, sinto a energia de cada uma. Tornei-me um admirador do trabalho de vocês no final dos anos 1970 com o LP Quatro e a partir de então saí procurando os discos de vocês, paguei um preço extorsivo pelo vendedor, os LP's "Casaco Marrom" do Guarabyra e "Passado, Presente e Futuro" (primeiro do Trio), mas valeu. tenho todos em LP's e CD's até o Antenas, depois desse só em CD's e o DVD "Outra Vez Na Estrada" exceto o mais recente "Cinamomo" mas em breve estarei com ele para curtir. A última vez que vi um show da dupla (nunca vi o trio em palco), foi no Recife no dia 16/04/2016 na Caixa Cultural, vi as duas apresentações. Levei dois bolos de rolo pra vocês, mas o Guarabyra não estava. Quero registrar que tenho até o LP "Vamos Por Aí", todos autografados, que foi num show feito no Teatro do Parque, as apresentações seriam nos 14,15 e 16/10/1992 mas o Guarabyra perdeu o voo e só foram dois dias, no dia do seu aniversário e outro no dia 16. Inesquecível. Agora estou lendo essas crônicas maravilhosas. Grande abraço forte e fraterno e muita saúde e sucesso pra vocês, sempre. P.S. O meu perfil no Facebook é Xavier de Brito e estou lá como Super Fã.

- Edison Xavier de Brito

Me lembro de ter lido algumas destas crônicas dos discos quando voce as publicou no Facebook em 2013, Sá. Muito emocionante reler e me emocionar de novo. Voces foram trilha sonora importantíssima dos últimos anos da minha vida. Sou de 1986, portanto de uma geração mais nova que escuta voces. Gratidão e vida longa a voces!

- Luiz Fernando Lopes

Salve!!! Que maravilha conhecer essas histórias de discos que fazem parte da minha vida. Parabéns `à Backstage e ao Sá! E, claro, esperando a crônica do Pirão. Esse disco me acompanha há mais de quarenta anos! Minhas filhas escutaram desde bebês e minha neta, que vai nascer agora em setembro, vai aprender a cantar todas as músicas!

- Maurício Cruz

com esse time de referências musicais (exatamente as minhas) mais o seu talento, não tem como não fazer música boa!!!! parabéns!!! com uma abraço de um fã que ouve seus discos desde essa época!

- nico figueiredo

Boa noite amigo, gostei muito das suas explicações, pois trabalho com mix gosto muito mesmo e assistindo você falando disso tudo gostei muito um abraço.

- Rubens Miranda Rodrigues

Obrigado Sá, obrigado Backstage, adoro essas histórias, muito bom, gostaria de ouvir histórias sobre as letras tbém, abç.

- Robson Marcelo ( Robinho de Guariba SP )

Esperando ansioso o Pirão de Peixe e o 4. Meu primeiro S&G

- Jeferson

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Escreva sua opinião abaixo*