Anuncio topo
COLUNISTAS

5 Pontos importantes na operação de áudio em Igrejas

07/04/2020 - 16:43h
Atualizado em 13/04/2020 - 15:32h


Foto: Michael Beck | House Mix Farfield Baptist Church


 

E aí galera do som, tudo legal? Vamos lá para mais uma matéria sobre som das Igrejas:

 

É claro que há diversos outros pontos de suma importância na missão da operação de áudio em Igrejas, porém aqui quero destacar aqueles que acho mais importantes, aos quais precisamos estar atentos de verdade.

 

Primeiro ponto: Elétrica

Precisamos entender de uma vez por todas que áudio é eletricidade, ou seja, a partir do momento que o sinal entra em um microfone ou direct box vira instantaneamente um sinal elétrico. Logo, se o fluxo desse sinal encontrar problemas elétricos, o áudio será prejudicado, e muito!

 

 

Quando falo problemas elétricos, digo, entre diversos outros, falta de aterramento e falta de dimensionamento elétrico para a demanda. Em suma, a falta de um projeto feito por um profissional.

 

Segundo ponto: Na outra ponta, acústica.

Quando o sinal elétrico é convertido novamente em energia acústica, ele encontra um enorme ambiente para se propagar e é aí aonde está o problema. Superfícies reflexivas causando reverberação excessiva que obviamente acabam com a inteligibilidade do programa de culto.

A Solução mais barata é estudar um pouco para pelo menos entender o que está acontecendo e então tomar algumas decisões. Porém, há no mercado diversos profissionais que podem resolver esses problemas num piscar de olhos.

 

Terceiro ponto: Posicionamento e alinhamento do sistema de som.

Sabem aquele velho problema do primeiro ouvinte na primeira fila de cadeiras que está sempre reclamando do som alto, enquanto a reclamação dos últimos ouvintes lá atrás é sempre que não estão conseguindo escutar a palavra do sermão? Pois é, isso é falta de um projeto de desenho de som para o ambiente. Caixas erradas colocadas no lugar errado e sem alinhamento.

Precisamos ter em mente que todos no ambiente deveriam estar ouvindo a mesma intensidade de som com os mesmos médios, graves e agudos. E fim de papo!

 

 

Quarto ponto: Mixagem de Monitor

Uma coisa é certa: se os músicos não conseguem entender o que está sendo tocado pelo conjunto e, sobretudo, se ouvindo com clareza, ele não vai conseguir desempenhar o papel para o qual está ali com eficiência. A confusão sonora causa insegurança, tempos atravessados e até desavenças entre os músicos.

A solução para isso é simples: preferivelmente todos de fones com uma boa mixagem para cada músico. Os fones não só evitam excesso de som no palco como também colocam no ouvido do músico exatamente aquilo que ele deseja ouvir.

 

Quinto ponto: Estrutura de Ganho.

 

Sabem de uma coisa? Se tem algo que define uma boa mixagem de uma mixagem terrível é a estrutura de ganho. Quando bem feita, temos o melhor de cada voz e instrumento e extraímos o melhor do que temos na mão.  Aí a mixagem se torna fácil e prazerosa. Porém quando não temos uma estrutura de ganho bem feita, não adianta fazer nada. Estaremos limitados pelo desastre de ganhos mal feitos.

 

É isso aí galera, pela minha experiência no mundo das Igrejas, pude perceber que quando esses fatores são devidamente observados, mesmo com equipamentos não tão bons, conseguimos tirar um sonzão. Porém, quando deixamos a desejar nesses pontos, não adianta colocar o melhor PA com a melhor console com os melhores mics e a melhor banda, que o resultado será limitado pelas deficiências. Falo por experiência própria.

 

 

Na estrada com o Ministério Luma Elpídio, já tocamos em centenas de Igrejas e, sempre que chego no local, essas são sempre as primeiras coisas que observo. Quando vejo problemas nos pontos citados, já sei que infelizmente estaremos limitados pela falta de excelência das instalações.

 

Um abraço, e espero que tenham gostado! Até a próxima matéria!

 

 

5 Pontos importantes na operação de áudio em Igrejas
Pedro Duboc

COMENTÁRIOS

Salve!!! Que maravilha conhecer essas histórias de discos que fazem parte da minha vida. Parabéns `à Backstage e ao Sá! E, claro, esperando a crônica do Pirão. Esse disco me acompanha há mais de quarenta anos! Minhas filhas escutaram desde bebês e minha neta, que vai nascer agora em setembro, vai aprender a cantar todas as músicas!

- Maurício Cruz

com esse time de referências musicais (exatamente as minhas) mais o seu talento, não tem como não fazer música boa!!!! parabéns!!! com uma abraço de um fã que ouve seus discos desde essa época!

- nico figueiredo

Boa noite amigo, gostei muito das suas explicações, pois trabalho com mix gosto muito mesmo e assistindo você falando disso tudo gostei muito um abraço.

- Rubens Miranda Rodrigues

Obrigado Sá, obrigado Backstage, adoro essas histórias, muito bom, gostaria de ouvir histórias sobre as letras tbém, abç.

- Robson Marcelo ( Robinho de Guariba SP )

Esperando ansioso o Pirão de Peixe e o 4. Meu primeiro S&G

- Jeferson

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Escreva sua opinião abaixo*