Jorge e Mateus utilizam o novíssimo sistema Slinpec 214Y

Apuração: Fernanda Fernandes / Edição: Redação da Backstage
Fotos: Lade Som / Divulgação

Ao completar 35 anos de atividade, a locadora de Cuiabá sonoriza o mega show Jorge e Mateus utilizando o novíssimo sistema Slinpec 214Y.

 

O show da dupla Jorge & Mateus, que movimentou Cuiabá na noite do dia 7 de julho, atraiu um público de aproximadamente 15 mil pessoas ao centro universitário Univag, na região metropolitana da capital mato-grossense. Quem resolveu sair de casa para assistir os seus ídolos, pode também testemunhar um show de qualidade e de tecnologia. Além do desfile de hits de sucessos do vasto repertório dos cantores, o grande destaque ficou por conta do novo sistema de som fabricado pela empresa gaúcha LS Audio.

 

 

Sistema de som
Para comemorar os 35 anos e ampliar a sua gama de oferta de sistemas, a Lade Som adquiriu o novo sistema da LS Audio por dois motivos. O primeiro é que a empresa ainda não tinha nenhum sistema nacional na empresa e o segundo pelo bom trabalho que a empresa gaúcha vem desenvolvendo com grande aceitação pelos produtores e técnicos nos shows no Brasil. “Por isso, a parceria que fiz para o lançamento do sistema Slinpec 214Y, um sistema com inovações em termos de som. Cada caixa tem 2 falantes de 14 polegadas da B&C mais dois drives de quatro polegadas com amplificação Powersoft modelo X4 e com os sub de 2 falantes de 18 polegadas amplificação Powersoft K20 gerando 1.600WRMS por falante”, explica Lade.
O Slinpec 214Y é um sistema de apenas 2 vias, mas que apresenta um som claro, nítido e com muita potência e definição, concorrendo com os PAs importados de altíssimo nível. Um sistema que veio para atender os grandes festivais e espaços para 20 e 80 mil pessoas com as características de timbre e pressão sonora que o povo brasileiro gosta.
O PA foi composto por 48 caixas Slinpec 214Y com amplificação Powersoft X4 mais 24 Slinpec 288Y (sub) com amplificação Powersoft K20. Na house mix, dois consoles (um para backup) mix rack (Digidesign) e duas (uma para backup) GranMA Light para a iluminação. Havia também duas consoles de mixagem (uma também para backup) PMD-RH (Yamaha) para atender à monitoração dos artistas. Não houve necessidade de torres de delay.
 
 

Parcerias
Todo o sistema de som foi alinhado pelos técnicos Samuel e Lucas (LS Audio) com os ouvidos atentos de Lade, Luís Paulo e Erick (da Lade Som) através do software Ease Focus, um recurso muito importante para que o público presente pudesse ouvir o som de forma uniforme e efetiva.
Partindo desse princípio, Lucas Sallet, que desenvolveu o produto da LS Audio, ressalta que a ideia era criar um sistema rápido, robusto e com resultado de uma caixa grande.
“Acredito que ficou um produto muito diferenciado, se comparado a uma caixa normal de três vias, que utiliza falante de 15”. Esta é bem menor, bem mais rápida de montar. Se compararmos com o que a gente tem atualmente no mercado, ela está muito bacana”, afirmou.
Outro parceiro no projeto foi a B&C Speakers, que fornece diversos componentes, como um drive mais resistente e alto-falantes de excelente qualidade que reproduzem tanto o som grave quanto o médio. “Musicalmente, você consegue escutar melhor a música com a voz mais legível, os instrumentos mais definidos; então não vai ter instrumento que ora aparece, ora some, conforme entra na faixa de cruzamento das vias.
Então isso acaba permitindo que a caixa, para o mercado brasileiro e especialmente o segmento sertanejo, seja um ponto forte em relação a muitos importados”, afirmou Gustavo Bohn, gerente de vendas para América do Sul da B&C.
 

Impressões
Marcelo Félix, técnico de PA da dupla Jorge & Mateus, durante a passagem de som, horas antes das atrações subirem ao palco, também enalteceu a qualidade do sistema. “O Lucas desenvolveu esse novo sistema com os agudos bem mais apurados do que todos outros sistemas nacionais. Então, as altas estão bem mais definidas. É um sistema mais encorpado, ficou perfeito, show de bola”, comemora, acrescentando que o conjunto de todo o sistema oferecido foi fundamental no momento em que precisou fazer as equalizações dos microfones dos dois cantores, que têm características e posturas vocais diferentes.
“Pude verificar, durante o show, a felicidade dos técnicos na qualidade do som com um público que já vinha exigindo um som de melhor definição. Hoje não basta ter um bom artista no palco e um som que não atende as expectativas dos fãs”, comenta Lademir Sette, proprietário da Lade Som. “A Lade Som sempre entendeu que um artista não pode apresentar todo o seu potencial e performance sem uma excelente qualidade sonora. Tenho percebido que os grandes shows transmitem as emoções da música para as pessoas com todas as nuances que a música exige. Alias, nós sempre tivemos a preocupação de apresentar uma boa qualidade sonora para emocionar e encantar as pessoas. Este novo sistema veio com estas características, de um som cristalino com uma grande pressão sonora”, completa Lademir.

 

Iluminação
De acordo com as especificações do rider técnico apresentado pela dupla, a Lade Som Locadora, em parceria com a empresa Back and Light, montou todo o projeto de designer e iluminação. A concepção do projeto de iluminação do show foi do técnico Jonathan Almeida. Segundo ele, a inspiração veio de alguns modelos dos “gringos”, com adaptações para o estilo diverso dos dois cantores. O conjunto de iluminação teve como destaques a interação do palco com os telões de LED e com o público.

 


O espetáculo
A capital de Mato Grosso foi a segunda cidade, depois de Fortaleza, a receber o show Único da dupla sertaneja Jorge & Mateus. Uma apresentação com uma hora e meia de duração, que incluiu os principais sucessos do álbum Terra sem CEP, do início da carreira, até canções do mais recente trabalho.
A programação teve ainda a participação do cantor Jeferson Moraes e da dupla Israel e Rodolfo.
A exemplo das superproduções que lotam os espaços, é fato que o mercado de shows do gênero sertanejo é o que menos enfrenta crise do setor de showbusiness. O diretor musical de Jorge & Mateus, Ney Quiñonero, que também toca na banda, faz uma avaliação do que se torna mais rentável hoje para o artista. “Na verdade, o mercado de vendas de discos mudou muito nos últimos anos. Acho que de 15, 20 anos para cá, a venda de discos é só para fomentar mesmo a atividade de shows, que é o carro-chefe”, ponderou.

 

 

  

Promoção e Realização
Pensar, organizar e executar eventos de grande porte, principalmente shows em ambientes abertos, requer, pelo menos, cinco meses de planejamento. Escolher a data, definir o local, desenvolver ações de mídia para promover o show nas redes sociais, em rádios, panfletagens, outdoors.
E, claro, parcerias como a que foi firmada com a locadora Lade Som, que sempre traz tranquilidade e segurança para os realizadores do evento, como afirma Elson Ramos, da Ditado Produções. “É indiscutível não procurar o Lade. O que me chama atenção é que eles têm os melhores equipamentos, sem dúvida. Você fecha o negócio com ele e a partir daquele momento você não se preocupa mais com som e luz. A prestação de serviço dele é muito boa”, reiterou.

 

Ricardo Cintra, outro promotor do evento que trabalha com o mercado de show business há 20 anos, produz, por ano, em todo o estado de Mato Grosso, 12 apresentações com a mesma configuração do show de J&M em Cuiabá. Para evitar dor de cabeça também prefere fazer parcerias bem-sucedidas, como a que fez com a Lade. “A partir do momento que você fecha um contrato com a Lade, pode virar as costas e deixá-los trabalhar, porque a gente sabe que o material vai ser bem entregue, com qualidade e que a gente não vai ter problemas em shows desse porte. É bom você ter uma empresa nesse patamar, com know how, com a responsabilidade que a Lade tem”, considerou.
 
A estrutura
Todo suporte e armação do show em questão contou com dois camarotes no chão (hoje em dia os suspensos já não são mais tão usados para que acidentes sejam evitados) e uma área VIP.
Segundo os promotores, deixar tudo pronto e funcionando perfeitamente não sai por menos de R$ 600 mil reais (fora o cachê dos artistas). A estrutura envolveu também a atuação de cerca de 600 profissionais, distribuídos em setores como segurança, produção de palco, buffet, bares, caixa, etc.
Fazer um planejamento estratégico, trabalhar com antecedência, seriedade e respeito ao público certamente faz toda a diferença para se conseguir entregar de fato tudo que foi vendido. “Como resultado, o público sente um mix de sensações e emoções, volta para casa satisfeito, em êxtase, com ótimas recordações. Mas é fato também que investir em produtos de alta tecnologia, com alto rendimento e de preferência econômicos, como o que vimos, contribui de forma decisiva para um resultado bom. É mais do que tendência, é isso que o mercado fonográfico brasileiro pede atualmente”, sintetizou Lade.

 

 

 

Equipamentos / Palco

 

Palco
8 monitores LS Audio (Power Rack)
Side Fill
04 caixas Slinpec 288Y mais 08 caixas Aero 20A da D.A.S. Audio
Front Fill
04 caixas Aero 20A da D.A.S. Audio
Amplificação
08 Powersoft X4 e 06 Powersoft K20

 

 

 

 

DNA da Lade Som

A empresa Lade Som é a maior locadora de som e iluminação do Estado de Mato Grosso e está entre as 10 maiores locadoras do Brasil. Este status não existe por acaso.
Na verdade, desde a sua origem a empresa sempre teve como meta fazer o melhor. Por isso, a empresa cria o seu mercado sempre com suporte e muito investimento em know how. "Comecei a minha atividade no Rio Grande do Sul, na cidade de Liberato Salzano, em 1983, com uma loja que vendia discos (vinil) e fazia gravações nas fitas K7. Entendi que esse mercado me proporcionava visibilidade para trabalhar com sistema de som e foi o que eu fiz. No início atendia apenas a minha cidade e as cidades no entorno, mas senti que poderia ter um mercado maior e, por isso, resolvi mudar para Sorriso (MT) que naquela época (1988) estava despontando a todo vapor. Graças a Deus que as coisas evoluíram bastante e percebi que deveria me instalar numa capital para abarcar melhor os eventos do Estado. A mudança ocorreu em 1997 e desde então a empresa vem crescendo em estrutura e em respeitabilidade" afirma Lade. 
A afirmação do empresário Lade pode ser facilmente constatada, basta um passeiozinho nas mídias sociais e no próprio site da empresa (www.ladesom.com.br) para se perceber que os grandes eventos que ocorrem na região - regionais, nacionais e internacionais - são sonorizados pela empresa Lade Som. O empresário Lade explica que "o segredo do sucesso de uma empresa de sonorização é fazer tudo com muita responsabilidade e humildade: investir bem, no sentido de atender às demandas técnicas e tratar todos os clientes, técnicos, produtores e todos os que estão envolvidos nos eventos com o mesmo cuidado e respeito. Nesse meio é preciso ter cuidado para não investir em sonhos, em desejos pessoais, mas, sim, comprar equipamentos de boa aceitação por parte dos técnicos e produtores", afirma. 
Esta filosofia, somadas a uma gestão que prioriza o treinamento dos funcionários e equipe técnica, uma frota de transporte e instalações próprias e investimentos constantes nas melhores práticas administrativas e em produtos de ponta, tornou a Lade Som e Luz uma empresa identificada pelas palavras Qualidade e Profissionalismo e uma referência para lançar novos produtos no mercado da sonorização. 

 

 

 

Please reload

Destaque

Rio das Ostras Jazz & Blues Festival 2020

February 7, 2020

1/10
Please reload

Posts recentes

December 31, 2019

December 24, 2019

December 19, 2019

Please reload

Nossas Redes
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Instagram
SOBRE

REVISTA BACKSTAGE

 

A Revista Backstage é um publicação da Editora H. Sheldon e pode ser adquirida online através do site da editora, por assintura ou avulsa.

 

ANUNCIE

IMPRESSA OU DIGITAL

 

Clique aqui e se informe sobre as condições de anúncios em nossa revista ou site.

CONTATO
  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • Instagram

Todos Direitos Reservados

Rua Iriquitiá, 392 - Taquara

Rio de Janeiro - RJ - CEP:22.730-150 

Telefones: (21) 3627-7945 /  2440-4549

E-mail: adm@backstage.com.br

© 2017 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS • REVISTA BACKSTAGE