Anuncio topo
REPORTAGENS / Matérias Completas

Carol Olival entrevista Pedro Zimmer sobre Audiobranding

11/05/2021 - 16:29h
Atualizado em 11/05/2021 - 16:54h

 

Carol: Pedro, conta pra gente o que é audio branding? 

Pedro: Audiobranding é o processo que estabelece a personalidade sônica de uma marca. Muita gente confunde com logo sonora, que no fundo é só uma parte da personalidade sônica, mas não é só isso. Uma identidade sonora compreende absolutamente todo tipo de som que a pessoa vai escutar enquanto ela estiver em contato com a marca. É um guia. Esse guia vai definir várias coisas, incluindo a logo sonora, músicas e outros sons que tocam em estabelecimentos físicos, comerciais e websites, que tipo de artistas a marca deve se associar, entre milhares de outras possibilidades. 

 

 

Carol: Que benefício ter uma identidade de som definida traz para uma empresa? 

Pedro: É verdade que a maioria das pessoas não presta muita atenção nos sons que estão nos nossos arredores. Mas mesmo a gente não prestando atenção, a gente é influenciado. 

É um instinto primitivo do ser humano. E o que acontece é uma reação emocional, não racional, o que traz ao universo corporativo uma via direta para trabalhar com as emoções das pessoas. E emoções são o que tornam qualquer experiência memorável. E não estou falando de músicas, vinhetas ou jingles, estou falando de qualquer som, todo e qualquer som.

 

 

Carol: Peraí, mas então o som de fritura é sound branding também? 

Pedro: Sim. Tudo que a pessoa escuta, sendo intencional ou não, quando está em contato com a marca é sound branding. A gente precisa lembrar que o som nunca é neutro. Ele sempre faz você sentir uma emoção. Ela pode ser positiva, negativa, forte, fraca, tanto faz. Mas ela vai existir. O som é poderoso desse jeito. O restaurante Chilli’s nos EUA entendeu isso perfeitamente. E utilizou o som das sizzling fajitas para chamar a atenção dos clientes. Você está sentado tentando decidir o que comer e alguém do outro lado do restaurante recebe um prato quente com esse som chamando a sua atenção. Logo depois, um cheiro irresistível invade o ambiente. É um método extremamente eficiente. Além disso, imagina uma corrida de Formula 1, você sabe exatamente o som que uma corrida tem. Imagina o parque da Disney, se você já foi lá, você sabe exatamente como é o som no parque, que, inclusive, é cheio de “silêncios”que querem dizer muito para a marca da Disney.

 

 

Carol: Mas para uma empresa que não é a Disney, quais as aplicações práticas de um projeto de audio branding? 

Pedro: Isso varia muito de empresa para empresa, pois realmente existem muitas possibilidades. Todos os espaços podem e devem ter seus próprios sons. Pense em jogos que você joga: ele provavelmente tem sons que indicam o que está acontecendo no momento. Trazendo isso para o universo físico, qual o som que toca em uma loja quando um cliente entra? Que tipo de curadoria de trilha uma loja pode ter para influenciar de forma produtiva o modo que o cliente se sentirá dentro da sua loja?

 

 

 

 

Carol: Falando em podcasts. Onde eles entram para uma empresa? Como uma empresa pode se beneficiar do podcast? 

Pedro: De muitas maneiras, o limite é a criatividade. Um podcast é um canal de comunicação direto muito efetivo assim que o ouvinte é fidelizado. Podcasts próprios podem ser muito efetivos se feitos corretamente, com conteúdo relevante um podcast fazer uma marca se tornar conhecida e respeitada, virando uma referência, ou fortalecendo seu lugar no mercado.

 

 

Carol: E como aconteceu de você descobrir todo esse universo, sendo formado em produção musical?

Pedro: Eu sou apaixonado por sons. Sempre quis trabalhar com sons, e respeito muito todo o tipo de barulho. Eu trabalho ainda, e bastante, com produção de artistas, mas estou cada vez mais envolvido com todo esse universo que está dentro dos sons, e que muitas vezes o mercado ainda não percebe. Quanto mais a gente fala em experiência do consumidor, no mercado corporativo, mais a gente precisa entender o sentimento que o cliente tem durante essa experiência, e é aqui que entra a magia do áudio.

 

 

Carol: E como isso conversa com a carreira que você está trilhando? Com o espaço que você está encontrando no mercado?

Pedro: Poxa, conhecer e me abrir para esse mercado do áudio no geral, não somente da produção musical, é muito importante para o profissional da música. Abre portas, oportunidades, abre a cabeça mesmo. Olha esse momento de pandemia: muitos profissionais, vários colegas, ficaram sem chão. Com o corte dos shows, dos orçamentos e a paralisação do mercado, quantos profissionais não ficaram sem ocupação? E tem todo esse mundo, que a gente pode acessar, encontrar trabalho nele, e conseguir ser feliz fazendo o que a gente gosta. Eu gosto de som, e todo esse universo me empolga muito. Quero trabalhar com música, com áudio branding, com efeitos sonoros especiais, com podcasts, com tudo o que envolve som. Acho que esse mercado está ai, para quem quiser entrar e conhecer. Como profissionais, precisamos estar mais atentos, estudar, entender a relação da nossa área com outros áreas, e, principalmente, estarmos preparados para surfar a onda que estiver vindo.

 

 

 

  • COMPARTILHE
voltar

COMENTÁRIOS

Nenhum cadastrado no momento

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Escreva sua opinião abaixo*